Moto 1000 GP: Kawakami vence em Cascavel e é campeão da GPR 250

segunda-feira, 15 de dezembro de 2014



Meikon Kawakami é o novo campeão da GPR 250, série de formação de pilotos que o Moto 1000 GP implantou em 2013. Depois do vice-campeonato na primeira temporada, o piloto paulista da Playstation-PRT conquistou o título neste domingo (14) com a vitória no GP Petrobras, em Cascavel (PR). O triunfo obtido no Autódromo Zilmar Beux foi seu terceiro em 2014 – venceu a primeira etapa, em Santa Cruz do Sul (RS), e a quarta, também em Cascavel.

O pódio do GP Petrobras foi composto por pilotos de duas equipes. Pela Playstation-PRT, os irmãos Meikon e Ton Kawakami foram primeiro e quarto colocados, respectivamente. A Estrella Galicia 0,0 by Alex Barros teve o goiano Brian David como segundo colocado na corrida, além do paulista Lucas Torres em terceiro e do cearense José Duarte em quinto. Torres confirmou seu vice-campeonato, com David assumindo o terceiro lugar na pontuação final.

O campeão Kawakami esteve no pódio em sete das oito etapas da GPR 250 – a única exceção foi a sexta etapa, em Curitiba (PR), onde cruzou a linha de chegada em sétimo lugar. “Foi uma corrida muito difícil, mas consegui essa vitória e esse título, o que me deixa muito feliz. No ano passado perdi o título aqui em Cascavel. Neste ano ganhei duas vezes aqui e fui campeão aqui”, afirmou o paulista, que seguirá disputando o Moto 1000 GP em 2015.

Pole position do GP Petrobras, David protagonizou o revezamento com Kawakami na disputa pela liderança. “A corrida foi boa. Eu é que não fui tão bem quando esperava. Reduzi uma marcha sem querer e o Meikon me passou. Também passei ele algumas vezes, mas nas últimas voltas ele defendeu bem e me fechou todas as vezes que tentei passar. Esse foi um bom ano, só tenho a agradecer à minha equipe”, declarou o goiano.

Torres, terceiro colocado na corrida, confirmou o vice-campeonato do Moto 1000 GP na categoria de formação de pilotos. “Eu cometi alguns erros na corrida que não me deixaram me aproximar, mas foi tudo muito bom. Sou grato à toda a equipe, que fez um trabalho ótimo, me deu muita força para evoluir, o Brian também me ajudou muito. Não tem só esse ano, teremos outros. Devo continuar no Moto 1000 GP, minha vez vai chegar”, falou.

A CORRIDA
O GP Petrobras destacou uma das características da GPR 250 ao longo da temporada: o de revezamento constante das primeiras colocações entre os competidores. Logo após a largada, Meikon Kawakami e Suel Silva, segundo e terceiro no grid, assumiram as duas primeiras posições na corrida, deixando o pole Brian David em terceiro lugar. Lucas Torres, sexto no grid e candidato ao título, completou a primeira volta ocupando a quinta colocação.

Na abertura da segunda volta, Ton Kawakami, irmão e companheiro de equipe de Meikon, assumiu a segunda colocação, sendo superado duas curvas depois por Silva. O líder da corrida e do campeonato aproveitou as trocas de posição para, na primeira volta, abrir 1s737 de vantagem, ampliando a 2s703 na segunda volta, quando David iniciou a reação e cruzou a linha de chegada em segundo. Silva e Herbert Pereira eram quarto e quinto.

Suel Silva tomou o terceiro lugar de Ton Kawakami no início da quarta volta da prova, quando a diferença entre David, o segundo, e José Duarte, o sétimo, era de apenas 1s104. A essa altura, David imprimia um ritmo mais forte que o do líder, reação capaz de fazer a vantagem de Kawakami cair a 1s047 depois de quatro das 13 voltas da corrida. A ultrapassagem do pole sobre o líder do campeonato aconteceu no fechamento da quinta volta.

Enquanto Silva liderava o segundo pelotão a mais de dois segundos dos líderes, David e Kawakami polarizavam a disputa pela vitória no GP Petrobras. Eles trocaram de posição na pista duas vezes na sexta volta e outras duas na sétima – que acabou marcada pela queda de Silva na segunda perna da curva do S do Saul, o que deixou Pereira no comando do segundo pelotão da corrida, integrado ainda por Duarte, Ton Kawakami e Torres.

Duarte completou a volta número 9 em terceiro, mais de dois segundos atrás dos líderes, que estavam separados entre si por menos de um décimo de segundo. Silva, de volta à pista após o acidente no S, foi ultrapassado pelos primeiros colocados na décima volta da corrida, ficando definitivamente a uma volta da disputa por um lugar no pódio. No complemento da 11ª volta, Pereira, que estava em quinto, sofreu uma queda na Curva da Vitória.

Primeiro colocado desde a metade da corrida, Kawakami abriu a última volta 169 milésimos de segundo à frente de David e com 2s519 de vantagem sobre Torres, que já ocupava o terceiro lugar. Empreendendo uma pilotagem defensiva, Kawakami chegou à terceira vitória na temporada, que somou-se a dois segundos lugares, um terceiro, um quarto e um sétimo. Torres ficou com o vice-campeonato, com David subindo de quinto para terceiro na tabela.

MOTO 1000 GP – GP PETROBRAS – CATEGORIA GPR 250
(Classificação final em Cascavel após 13 voltas)
1º) Meikon Kawakami (SP/Honda), Playstation-PRT, 17min46s091
2º) Brian David (GO/Honda), Estrella Galicia 0,0 by Alex Barros, a 0s165
3º) Lucas Torres (SP/Honda), Estrella Galicia 0,0 by Alex Barros, a 2s382
4º) Ton Kawakami (SP/Honda), Playstation-PRT, a 2s428
5º) José Duarte (CE/Honda), Estrella Galicia 0,0 by Alex Barros, a 2s524
6º) Guilherme Brito (SP/Honda), Estrella Galicia 0,0 by Alex Barros, a 26s172
7º) Renzo Ferreira (SP/Kawasaki), Paschoalin Road and Track, a 26s426
8º) Bruno Borges (DF/Honda), City Service BSB Motor Racing, a 26s892
9º) Rafael Traldi (SP/Honda), Playstation-PRT, a 51s700
10º) Marcelo Fernandes (PR/Honda), Paulinho Superbikes, a 1min22s911
NÃO COMPLETARAM
Herbert Pereira (RS/Kawasaki), Aclat Racing, a 3 voltas
Suel da Silva (PR/Kawasaki), Paulinho Superbikes, a 4 voltas
NÃO LARGOU
Márcio Miranda (PR/Honda), Black Day Racing Team
Melhor volta: David, na 5ª, 1min19s501, média de 138,474 km/h

CLASSIFICAÇÃO
Já computado o descarte obrigatório de um resultado por piloto durante a temporada, a classificação final da categoria GPR 250 no Moto 1000 GP é a seguinte: 1º) M. Kawakami, 149 pontos; 2º) Torres, 130; 3º) David, 100; 4º) Duarte, 97; 5º) Tonini, 80; 6º) T. Kawakami, 76; 7º) Pereira, 39; 8º) Dirluiz, 38; 9º) Nic Nottingham, 36; 10º) Benassi, 29; 11º) Borges, 27; 12º) Miranda, 26; 13º) Traldi, 23; 14º) Brito, 21; 15º) Fernandes, 17; 16º) Mattes e Rosa, 16; 18º) Portaluppi, 14; 19º) G. Silva, 8; 20º) Rodrigues, 1.

Posts Relacionados