Russos apostam forte na segurança

quinta-feira, 9 de outubro de 2014

 
O acidente de Jules Bianchi ainda está na memória de todos, mas os organizadores do GP Rússia, que terá lugar domingo, em Sochi – cidade que foi palco dos Jogos de Inverno este ano –, garantem que estão preparados para receber a corrida e que todas as questões de segurança estão devidamente salvaguardadas. O país é pela primeira vez anfitrião de uma prova de F1 e quer fazer boa figura.

“Há sempre pressão numa primeira corrida. Queremos que tudo corra ainda melhor do que espera a FIA”, contou o irlandês Richard Cregan, que trabalha com a organização russa e que foi diretor do circuito de Abu Dhabi. “Nunca se pode relaxar quando se fala de segurança. Tudo está a ser feito de acordo com as regras.”

Para além do sucedido a Bianchi (o francês continua internado num hospital no Japão em estado crítico, depois de embater com violência numa grua que retirava um carro da pista), a prova está também ensombrada pelo conflito da Rússia com a Ucrânia. Mas aparentemente a pressão internacional não teve efeitos nas vendas dos ingressos, pois segundo Cregan tem havido um grande interesse por parte dos russos e estão a ser vendidos, em média, “entre 500 a 800 bilhetes por dia”. Tudo indica que domingo estejam cerca de 55 mil pessoas nas bancadas, incluindo o presidente Vladimir Putin.

Entretanto, as equipas começaram a assentar arraiais em Sochi, num ambiente de profunda tristeza pelo sucedido ao piloto da Marussia. Muitas viram a viagem para a Rússia atrasar-se devido ao tufão que afetou as ilhas nipónicas.

Posts Relacionados