Morre Jack Brabham, único campeão da F-1 com carro da própria equipe

segunda-feira, 19 de maio de 2014


Morreu neste domingo, aos 88 anos, Sir Jack Brabham, tricampeão mundial de Fórmula 1 e única pessoa na história do Mundial a conquistar um título com um carro de sua própria equipe.

A família do ex-piloto emitiu um comunicado no início da noite confirmando a informação, e explicando apenas que ele morreu "forma tranquila" em sua casa, em Gold Coast, na Austrália.

"É um dia muito triste para todos nós. Meu pai morreu de forma tranquila em casa aos 88 anos nesta manhã. Ele teve uma vida incrível, alcançando mais do que qualquer um poderia sonhar e ele continuará vivendo através de seu grandioso legado que ele deixa", afirmou seu filho, David Brabham, também piloto, na nota.

Brabham foi mecânico da Força Aérea Australiana e tinha uma pequena oficina mecânica quando começou a se dedicar a corridas em ovais de terra em seu país no final da década de 40. Com o sucesso no automobilismo local, ele resolveu partir para a Inglaterra para tentar uma carreira na Europa.

Ele se aliou então à Cooper e passou a ser piloto oficial da montadora, além de contribuir diretamente no desenvolvimento dos carros. Inclusive, ele teve participação direta na evolução do projeto da equipe que introduziu os motores traseiros na Fórmula 1, como eles são utilizados até hoje.

Aos poucos, ele cresceu dentro da Cooper, e a parceria rendeu frutos, chegando ao ápice no final dos anos cinquenta, quando ele conquistou um bicampeonato mundial na F1, em 1959 e 60.

Em 1962, ele deu início a um de seus grandes feitos na carreira: a equipe própria. Ao lado de seu amigo projetista Ron Tauranac, com quem já tinha trabalhado na Austrália, ele fundou a Motor Racing Developments, empresa que teria o foco na fabricação de chassis de corrida, e que entrou na Fórmula 1 sob a marca Brabham.

E eles precisaram de apenas cinco temporadas para conquistar o título, fazendo com que Brabham, agora um tricampeão, entrasse definitivamente para a história do automobilismo. No ano seguinte, o piloto acabou ficando com o vice-campeonato, mas viu novamente seu carro conquistar o Mundial, dessa vez, nas mãos de Denny Hulme. O time ainda venceu o campeonato de construtores nestes dois anos.

Em 1969, Brabham se aposentou e vendeu sua parte na equipe para Tauranac. A equipe voltaria a ser campeã novamente, porém, apenas na década de 80, já com Bernie Ecclestone como proprietário, e com o brasileiro Nelson Piquet ao volante, em 1981 e 83.

No total, o tricampeão fechou a carreira com 14 vitórias, 13 pole positions em 126 GPs disputados.

Posts Relacionados