Massa e Bottas "pelos ares" na Williams

terça-feira, 1 de abril de 2014

 
Os acontecimentos registados na corrida do GP da Malásia, domingo, ameaçam deixar marca no seio da Williams-Mercedes quando a temporada está ainda no início. Na origem está um problema mal resolvido que envolveu ordens de equipa dadas a Felipe Massa para que deixasse passar Valteri Bottas.

Os responsáveis da Williams, contra a forte tradição da escuderia, tomaram um decisão polémica, com base na hipótese de conquistar mais dois pontos. Isto porque Bottas estaria a rodar mais rápido e, assim, com mais condições do que Massa para ultrapassar Jenson Button (McLaren-Mercedes) e chegar ao 6.º lugar.

Massa, que passou por uma situação idêntica na Ferrari, no GP da Alemanha de 2010, ficou furioso. "Chega! Estou aqui para dar o máximo pela equipa e espero o mesmo da equipa", frisou o piloto brasileiro que deixou a Ferrari no final de 2013.

"Quando assinei com a Williams mostraram 100 por cento de respeito para comigo. Se perceber que esse respeito não se mantém, é lógico que este não é o caminho certo", reforçou, dando a ideia de que tudo está resolvido: "Não tenho nada a reclamar e vou dar sempre o máximo para fazer a equipa crescer, passar toda a minha experiência e melhorar o carro. Quero o melhor para a equipa."

"A luta era entre nós os dois e Button, que estava perto e eu não ia deixar de lutar pela posição dele. Não tive oportunidade de o ultrapassar, assim como Bottas também não teve oportunidade de me ultrapassar. Ele perdia tanto tempo como eu na saída das curvas importantes, na altura de acionar o DRS, pelo que o resultado da corrida foi o correto", justificou Massa.

Sobre o relacionamento com Bottas, o brasileiro sublinhou: "Não tenho qualquer problema com ele. É uma ótima pessoa, um bom piloto e respeito-o a 100 por cento. Ele não tem nada a ver com o que aconteceu."

Bottas também colocou água na fervura, alimentando a especulação sobre pressões da equipa para que ambos os pilotos se demarcassem da polémica.

Posts Relacionados