Autoridades judiciais abrem investigação sobre acidente de Schumacher

segunda-feira, 30 de dezembro de 2013

As autoridades judiciais de Albertville, nos Alpes franceses, abriram uma investigação às circunstâncias do acidente de esqui que envolveu o ex-piloto alemão de Fórmula 1 Michael Schumacher, hospitalizado e em coma após ter sofrido uma queda.

A justiça local, que descarta o envolvimento de terceiros no acidente, quer conhecer as causas da queda de Schumacher e afirma precisar de vários dias para concluir as investigações, a cargo do pelotão de "Gendarmes" de Alta Montanha de Bourg-Saint-Maurice e da polícia de Méribel. Os primeiros elementos indicam que o acidente deu-se às 11H07 (hora local) de domingo, na estância de esqui de Méribel.

O ex-piloto, que levava capacete quando caiu, bateu com a cabeça contra uma rocha numa zona fora de pista, quando seguia acompanhado do seu filho, de 14 anos. As autoridades judiciais acreditam que Schumacher, que cumpre 45 anos na sexta-feira, terá tropeçado numa rocha enterrada ou semienterrada na neve, numa zona em que as pedras não estão assinaladas, após o que perdeu o controlo e caiu, batendo de cabeça.

Num primeiro momento, o acidente não foi dado como "grave", mas o estado de saúde de Schumacher piorou horas depois e o sete vezes campeão do Mundo de F1 teve de ser trasladado para um hospital em Grenoble, onde deu entrada já em coma. Os médicos do hospital de Grenoble diagnosticaram um traumatismo craniano que causou hematomas intracranianos e um edema cerebral difuso, pelo que Schumecher "está numa situação crítica".

Posts Relacionados