Moto 1000 GP: HPN estende participação no campeonato à esfera comercial

sexta-feira, 16 de agosto de 2013


Em tempos de recessão em modalidades alheias ao futebol, haja vista a proximidade da Copa do Mundo no Brasil, o Moto 1000 GP segue celebrando parcerias. Desta vez, a HPN, empresa de assessoria de investimentos sediada na capital pernambucana Recife, passa a compor o quadro dos apoiadores do Campeonato Brasileiro de Motovelocidade. Equipe atuante do calendário deste ano, a HPN Racing Team disputa duas categorias, com seis pilotos.

A parceria é vista como ponto essencial para o projeto da HPN, segundo seu gestor de Marketing, Danilo Silveira. “Estamos envolvidos com o esporte de maneira geral e acreditamos no potencial do Moto 1000 GP por perceber que não há, no Brasil, um evento de motovelocidade tão bem organizado e estruturado”, explica Silveira. “Nosso projeto começa agora, com essa parceria, e se estenderá para o próximo ano, quando queremos profissionalizar ainda mais a equipe, trazendo mais pilotos de ponta para o campeonato”, continuou.

A conclusão do patrocínio para o Moto 1000 GP já era estudada há algum tempo, segundo o gestor. “Nas últimas etapas vimos que os resultados poderiam acontecer de forma efetiva, então temos que buscar uma qualificação melhor. O histórico do Moto 1000 GP credenciou o evento para que víssemos um nicho de mercado forte. Nossa meta é levar clientes fãs da motovelocidade para podermos realizar negócios. O cenário do campeonato é oportuno para isso”, exemplificou.

Promotor e organizador do Moto 1000 GP, Gilson Scudeler destacou os aspectos positivos que cercam a celebração da parceria com a HPN. “É algo extremamente positivo, porque se trata de um grupo de porte e que já está no evento”, frisou. “Portanto, é um grupo que conhece o meio e, a partir da ampliação de sua participação, reconhece a importância do Moto 1000 GP e o potencial do campeonato como ambiente para expor seus produtos no mercado de duas rodas”, acrescentou.

A HPN Racing Team prepara-se para a quarta etapa do Campeonato Brasileiro de Motovelocidade, marcada para 25 de agosto em Cascavel (PR), no Autódromo Zilmar Beux. Seus pilotos serão o paranaense Nico Ferreira, que volta a correr no Brasil pela categoria GP 1000; os pernambucanos Flavinho Sukar e Paulinho Kamba, sétimo e nono colocados na classificação do Moto 1000 GP, e o baiano Francisco Snoeck, que está na 17ª colocação, todos na GP Light; o paulista Gustavo Ceccarelli e o pernambucano Rodrigo Souza, 14º e 18º colocados na classificação da categoria GP 600.

Todas as motocicletas do Moto 1000 GP utilizam como combustível a gasolina Petrobras Podium e como lubrificante o Lubrax Tecno Moto. Petrobras e Lubrax patrocinam a competição ao lado da BMW Motorrad e da Michelin, que fornece pneus a todas as equipes. O Campeonato Brasileiro de Motovelocidade tem o apoio de Beta Ferramentas, BMW Serviços Financeiros, Servitec, LeoVince, Shoei, Tutto Moto, HPN Racing, Denko e Peterlongo.

Posts Relacionados