Alonso repreendido pelo chefe da Ferrari

quarta-feira, 31 de julho de 2013

Entre as felicitações pelo 32.º aniversário, celebrado ontem, Fernando Alonso recebeu também admoestação por parte de Luca di Montezemolo, o boss da Ferrari. “Todos os campeões que estiveram na Ferrari colocaram sempre os interesses da equipa acima dos seus interesses pessoais”, lembrou o italiano, numa alusão às críticas de Alonso na sequência do modesto 5.º lugar na Hungria.

“Este é o momento para manter a calma, mostrar humildade, determinação e apoiar a equipa e todo o pessoal. No circuito e fora dele”, acrescentou Montezemolo, lembrando que não é de todo útil fazer declarações a quente e logo depois de um resultado menos positivo.

O fim de semana não foi, de facto, o melhor para Fernando Alonso. Como é habitual, a Ferrari não foi capaz de entrar objetivamente na discussão pela pole position. Depois, durante a corrida, o espanhol não teve chances de entrar sequer na discussão por um lugar no pódio.

Para fechar um GP apenas mediano, Alonso e a Ferrari foram multados em 15 mil euros por utilização indevida do DRS – em 3 situações, Alonso abriu a asa traseira do Ferrari quando estava a mais de um segundo do carro que seguia à sua frente.

Como se não bastassem estes problemas e o fraco desempenho do F138, houve ainda a informação sobre alegadas conversações entre os gestores de carreira de Alonso e a Red Bull, com vista à entrada em 2014 do piloto espanhol na equipa de Vettel.

Algo que não foi claramente negado por nenhuma das partes: “[Alonso] Está livre em 2014? Não sei, perguntem-lhe”, limitou-se a dizer Chris Horner, diretor da Red Bull.

O intervalo de praticamente um mês até ao próximo GP (Spa, 25 de agosto) servirá para arrefecer os ânimos na Ferrari e melhorar o carro.

NÚMEROS E FACTOS APÓS A HUNGRIA

30 - pole positions alcançadas por Lewis Hamilton. O britânico ultrapassou a marca de Juan Manuel Fangio e segue na 7.ª posição de uma lista liderada por Michael Schumacher, com 68. Vettel tem 39

22 - são os triunfos de Hamilton na F1, igualando o registo de outro britânico, Damon Hill. Com a vitória em Budapeste, o piloto da Mercedes aproximou-se do top-10, que é liderado por Schumacher, com 91 triunfos

20 - vezes consecutivas em que Alonso e a Ferrari falharam a conquista da “pole”

10 - corridas consecutivas em que Jenson Button falhou um lugar no pódio. A McLaren tem o mesmo número de GP sem vitórias ou pódios

7 - presenças de Raikkonen no pódio em Budapeste. Com o 2.º posto de domingo, o finlandês igualou Senna e Schumacher em número de pódios na Hungria

Posts Relacionados