Moto 1000 GP: penta mundial de futebol, Roberto Carlos apoia piloto paulista

quarta-feira, 5 de junho de 2013


A segunda etapa, que teve suas provas realizadas no dia 26 de maio no Autódromo Internacional de Curitiba, em Pinhais (PR), marcou o início de uma nova parceria. Danilo Lewis, inscrito na categoria GP 1000, passou a contar com o apoio de Roberto Carlos. O acordo prevê o apoio do ex-jogador ao piloto paulista, que assim tem confirmada participação em toda a temporada do Campeonato Brasileiro de Motovelocidade.

Pentacampeão mundial de futebol em 2002 atuando na lateral esquerda da seleção brasileira, Roberto Carlos encampa há alguns anos um projeto similar no automobilismo, apoiando a Bassani Racing na Stock Car. O início da parceria foi promissor em termos de resultados – Lewis conquistou o segundo lugar no grid e terminou a etapa curitibana em terceiro, pilotando a Kawasaki número 6 da equipe que passa a se chamar PRT/RC3 Brasil.

“Foi um apoio que chegou em um momento excelente. Com o patrocínio da Apex, viabilizado pelo Roberto Carlos, conseguimos a condição de integrar uma ótima equipe e de disputar vitórias e o título, o resultado de Curitiba é uma prova disso”, comemorou o piloto, otimista para a sequência da temporada. “A nossa chance de conquistar uma vitória já em Interlagos é muito boa”, apostou, citando a terceira etapa, marcada para 23 de junho em São Paulo (SP).

Depois de celebrar no pódio do GP Curitiba o início da parceria, Lewis traça planos ousados. “Minha motivação foi lá em cima. Eu quero chegar perto do que andam os líderes, como o Luciano Ribodino, que vira tempos de volta muito bons. A tendência é de que em Interlagos eu comece a encostar nele”, falou. “Interlagos é a pista onde a gente sempre treina, a expectativa para lá é de mais um pódio. A equipe está excelente. Se melhorar, estraga”, brincou.

As perspectivas para a sequência da parceria são promissoras. “Imagino que esse apoio seja um pontapé inicial para o Roberto Carlos ter uma equipe própria a partir do ano que vem”, opinou. “A ideia dele é investir forte em uma equipe do Brasileiro para chegar ao Mundial com um piloto competitivo e fortalecer a marca RC3. Estou entrando de cabeça no projeto, minha meta é o Mundial e, para chegar bem lá, tenho de fazer uma boa temporada aqui”.

Todas as motos do Moto 1000 GP têm como combustível a gasolina Petrobras Podium e como lubrificante o óleo Lubrax Tecno Moto. Petrobras e Lubrax patrocinam a competição ao lado da BMW Motorrad e da Michelin, que fornece os pneus Power Slick, da GP 1000, e Power Cup, da GP Light, da GP 600 e da GPR 250, a todas as equipes. O campeonato tem o apoio de Beta Ferramentas, Shoei, LeoVince, Bell, Servitec, Calfin, Tutto Moto e Peterlongo.

Posts Relacionados