Moto 1000 GP: equipe da casa descarta pressão no GP Curitiba

quarta-feira, 15 de maio de 2013

O GP Curitiba, que vai apresentar no dia 26 de maio ao público do Moto 1000 GP as corridas da segunda etapa da temporada, terá em ação inúmeros pilotos da capital do estado. Quatro deles, de maneira especial, são apontados como integrantes da mais curitibana das equipes da competição – o Team Fuel Racing/Mormaii não só tem sua sede na cidade como tem todos os seus pilotos como representantes curitibanos na motovelocidade.

Marcos Christian Salles, da categoria GP 1000, Wesler Godoy e Marlon Felizardo, ambos na GP Light, e Maycon Benassi, na GPR 250, são os quatro integrantes da equipe, chefiada pelo também curitibano Douglas Filho. “Nosso trabalho, claro, é para fazermos o melhor, mas não vemos uma pressão maior pelo fato da corrida ser ‘em casa’, como dizem”, pondera Salles. “Vamos fazer o nosso melhor e deixar a pressão para os outros”.

Na etapa de Interlagos, Salles largou em 20º e levou a BMW S1000RR número 42 do Team Fuel Racing/Mormaii à zona de pontos, em 15º. Benassi, piloto da Kawasaki Ninja R250 número 17, largou em 13º e terminou em 11º na GPR 250. Na GP Light, Felizardo, com a BMW número 81, largou em 21º e terminou em 18º. Godoy, que tinha a 14ª posição no grid, teve o motor de sua Suzuki GSX R1000 número 24 estourado no warm up e não largou.

Wesler Godoy assume a expectativa de pódio. “Na prática vai ser minha estreia, não pude correr em São Paulo. Com uma moto competitiva, uma equipe entrosada e empolgada, vejo real condição de brigar de igual para igual com as equipes grandes”, afirma. Ele é piloto de motos há um ano. “Comecei a correr de tanto meus amigos pilotos insistirem. Fui ao pódio logo na primeira corrida no Paranaense e meu foco passou a ser o Moto 1000 GP”, conta.

Felizardo foi 19º colocado na classificação final da GP Light em 2012 e projeta resultados mais expressivos para 2013. Natural de São Paulo, ele vive em Curitiba desde 1997. “Já sou curitibano”, proclama, em tom de bom humor. “Montamos uma moto zero quilômetro para Interlagos, sem preparação, e até o warm up trabalhamos no acerto para a corrida. Agora a moto está prontinha, já sabemos os acertos necessários para uma boa corrida”, comenta.

Benassi, piloto há dois anos, mostra ciência do grau de dificuldade em sua primeira temporada no Moto 1000 GP. “O trabalho da equipe é muito bom e estou sempre disposto a dar o melhor de mim, mas sei bem que isso não vai ser fácil, porque há muitos pilotos bons e com mais experiência”, diz. “Participar desse campeonato é uma emoção grande para mim, vou fazer o possível para representar bem Curitiba. Correr na minha cidade me dá muito orgulho”.

Todas as motocicletas do Moto 1000 GP utilizam como combustível a gasolina Petrobras Podium e como lubrificante o Lubrax Tecno Moto. Petrobras e Lubrax patrocinam a competição ao lado da BMW Motorrad e da Michelin, que fornece os pneus Power Slick, da GP 1000, e Power Cup, da GP Light, da GP 600 e da GPR 250, a todas as equipes. O campeonato tem o apoio de Beta Ferramentas, Shoei, LeoVince, Bell, Servitec, Calfin, Tutto Moto e Peterlongo.

Posts Relacionados