FIA não exclui sanção à Mercedes

terça-feira, 28 de maio de 2013

A vitória de Nico Rosberg no GP do Mónaco, domingo, já tinha ficado ensombrada pelo protesto de Red Bull-Renault e Ferrari contra a Mercedes devido a um teste, alegadamente secreto, que a escuderia alemã realizou com pneus Pirelli no circuito da Catalunha (Barcelona), após o GP de Espanha, a 12 de maio.

E agora é a FIA a agravar o cenário, ao não afastar a possibilidade de aplicar sanções por o teste, no qual foi utilizado um carro de 2013, ter infringido os regulamentos.

A FIA confirmou que estava ao corrente de que a Pirelli queria fazer o teste, mas esclareceu que apenas concedeu uma permissão condicional caso "todas as outras equipas tivessem a oportunidade" de testar também.

"A FIA não recebeu qualquer confirmação de que todas as equipas tiveram oportunidade para participar nesse teste", revelou fonte da federação internacional, não afastando a possibilidade de "aplicar sanções" à Mercedes, que é acusada pelo diretor principal da Red Bull-Renault, Christian Horner, de ter agido forma "desleal".

"Todas as equipas gostariam de um teste exclusivo com um carro atual", afirmou ainda Horner, confessando que recebeu um, covite da Pirelli: "Recusámos porque, na nossa opinião, um teste daqueles viola os regulamentos."

A Mercedes, através do diretor-executivo, Toto Wolff, defende-se, negando que tenha tentado esconder o teste e desmentindo que aproveitou a oportunidade para testar evoluções para o carro:

"Houve apenas dez dias entre o pedido e o teste, o que não é tempo suficiente para produzir partes novas".

De resto, a Mercedes diz mesmo que Charlie Whiting, alto quadro da FIA para a F1 "consultou os advogados da FIA e deu permissão", revelou o presidente executivo Niki Lauda.

Posts Relacionados