F-Truck: 23º vencedor da história, Salustiano lidera o campeonato

quarta-feira, 10 de abril de 2013

O Campeonato Brasileiro de Fórmula Truck revelou em Londrina (PR), no último domingo (7), o 23º vencedor de sua história. Paulo Salustiano fez valer o favoritismo que demonstrou nos treinos e, em um resultado decidido de forma inédita para a grande maioria dos pilotos, foi declarado vencedor do GP Crystal, que valeu pela segunda etapa da competição. A corrida aconteceu no Autódromo Internacional Ayrton Senna.

Piloto da Fórmula Truck desde 2010, Salustiano alcançou a vitória em sua 32ª participação, a segunda como piloto do Mercedes-Benz número 55 da ABF Racing Team, equipe campeã brasileira e sul-americana do ano passado com o paranaense Leandro Totti. A categoria não conhecia um novo vencedor desde a penúltima etapa de 2011, quando Danilo Dirani levou o Ford número 70 da DF Motorsport ao primeiro lugar em Curitiba.

“Era um desafio para mim. Eu tinha que ganhar, afinal estou correndo no caminhão com o qual o Totti foi campeão. Só que é outro caminhão. Como o regulamento restringiu a potência dos caminhões Mercedes-Benz para esta temporada, para valorizar a competitividade, perdemos cerca de 150 cavalos”, conta o piloto. “Assim, tivemos que trabalhar duro para contornar isso, inclusive desenvolvemos um novo tipo de amortecedores”.

A etapa londrinense foi decidida na soma de tempos das duas baterias – a interrupção depois de 14 voltas fez-se necessária para as equipes poderem efetuar a troca dos pneus dos caminhões, dada a mudança na condição de pista decorrente da chuva. Salustiano, líder com vantagem de cerca de seis segundos no momento da interrupção, cruzou a linha de chegada em segundo, atrás do gaúcho Régis Boessio, da ABF Desenvolvimento Team.

A soma dos tempos das duas baterias deu a Salustiano vantagem de 2s609 sobre Boessio. A comemoração da ABF Racing Team estendeu-se ao paranaense Diogo Pachenki, seu outro piloto, que subiu ao pódio como terceiro colocado já em sua segunda corrida na Truck. Após a vitória, Salustiano sequer tentou disfarçar o momento de forte emoção e foi às lágrimas. “Eu fiquei muito feliz, chorei muito antes de descer do caminhão”, diz.

O piloto não poupou agradecimentos durante a cerimônia de pódio. “Agradeci a Deus, porque sem Ele nada disso seria possível, e à dona Neusa, pela oportunidade de eu correr na categoria”, frisa, citando a presidente da F-Truck, Neusa Navarro. “Longe de menosprezar as demais categorias onde eu já corri, a Fórmula Truck é a melhor. Sinto por não ter conhecido pessoalmente o Aurélio Félix, criador desse evento magnífico”, acrescenta.

A ETAPA LONDRINENSE
Salustiano foi mais rápido em três das quatro sessões de treinos livres em Londrina. Em uma, ficou em segundo lugar. Seu favoritismo à conquista da pole-position esbarrou na chuva, que alterou o formato habitual da tomada de tempos classificatória – como choveu com o treino já iniciado, a prática acabou suspensa e todos os pilotos foram à pista ao mesmo tempo, para um treino classificatório único com duração de 20 minutos.

“Eu tive um sentimento de frustração na hora. Pensei ‘não é possível, vai complicar tudo’. Não vou negar que fiquei preocupado, porque o Régis tem um caminhão com suspensão mais macia, realmente é mais rápido na chuva. E, como havia previsão de chuva na corrida, também, ele passou a ser a maior ameaça”, resume Salustiano, que ficou em quarto no grid. Boessio, valendo-se do acerto eficiente para asfalto molhado, obteve a pole-position.

“No fim da tomada de tempos a pista foi secando, foi se formando um trilho. Eu poderia até ter conseguido um segundo lugar no grid, se não fosse o tráfego. Para piorar, ainda bati com o Rogério Castro e meu caminhão entortou bastante”, relembra. O trabalho para restabelecer as condições do caminhão foi noite adentro. “No warm up, mesmo com a possibilidade de chuva, acertamos o caminhão para a condição de seco. Senti que era o caminho”.

A primeira parte da prova londrinense representou missão cumprida para Salustiano. Assumiu a liderança e estava quase seis segundos à frente de Boessio quando a etapa foi interrompida. “Tive muita dificuldade para passar o Régis, ele tem um câmbio diferente, que dá vantagem nas retas. Tivemos uma disputa forte, mas leal. Além de ser um grande piloto, ele joga limpo. Quando eu passei, ele poderia ter me tirado da pista, mas foi muito limpo”.

Feita a troca de pneus, a corrida foi reiniciada para mais oito voltas. A condição mais favorável de Boessio em pista molhada permitiu-lhe assumir a liderança a poucas voltas do fim. “Faltavam cinco minutos de prova, isso daria três ou quatro voltas. Eu só tinha que comboiá-lo. O Pipo Ferreira, meu chefe de equipe, fazia a leitura da diferença volta a volta para eu ajustar o controle”, lembra Salustiano. “No fim deu tudo certo, foi maravilhoso”, revive a vitória.

A terceira etapa do Campeonato Brasileiro de Fórmula Truck, no dia 19 de maio, será disputada na cidade pernambucana de Caruaru (PE), na pista também batizada como Autódromo Internacional Ayrton Senna. A prova valerá como segunda etapa do Campeonato Sul-Americano. No Brasileiro, depois de duas corridas, a classificação da competição é a seguinte:

1º) Paulo Salustiano (SP/Mercedes-Benz), ABF Racing Team, 48
2º) Régis Boessio (RS/Mercedes-Benz), ABF Desenvolvimento Team, 41
3º) Wellington Cirino (PR/Mercedes-Benz), ABF/Mercedes-Benz, 32
4º) Diogo Pachenki (PR/Mercedes-Benz), ABF Racing Team, 26
5º) Geraldo Piquet (DF/Mercedes-Benz), ABF/Mercedes-Benz, 23
6º) Valmir Benavides (SP/Iveco), Scuderia Iveco, 16
7º) Leandro Reis (GO/Scania), Original Reis Competições, 15
7º) André Marques (SP/MAN), MAN Latin America Racing Team, 15
7º) João Marcos Maistro (PR/Volvo), Clay Truck Racing, 15
10º) Roberval Andrade (SP/Scania), Ticket Car Corinthians Motorsport, 12
11º) Leandro Totti (SP/MAN), MAN Latin America Racing Team, 11
12º) Beto Monteiro (PE/Iveco), Scuderia Iveco, 10
12º) Alberto Cattucci (SP/Volvo), ABF/Volvo, 10
14º) Ronaldo Kastropil (SP/Scania), Ticket Car Corinthians Motorsport, 7
15º) Pedro Muffato (PR/Scania), Muffatão, 6
15º) Jansen Bueno (PR/Volvo), DB Motorsport, 6
15º) Djalma Fogaça (SP/Ford), 72 Sports/Ford Racing Trucks, 6
18º) Débora Rodrigues (SP/MAN), MAN Latin America Racing Team, 2
19º) José Maria Reis (GO/Scania), Original Reis Competições, 1

Posts Relacionados