Susie Wolff luta por lugar de piloto na Williams

quarta-feira, 27 de fevereiro de 2013

A britânica Susie Wolff tenciona obter a superlicença de forma a poder agarrar o lugar de piloto reserva na Williams-Renault, depois de ter sido a primeira a testar o F35, carro da escuderia de Grove para 2013.

"O 'shakedown' [ao FW35] correu bem e agora penso ir passo a passo. E o próximo é arranjar forma de tirar a superlicença", revelou, ao "autosport.com", a piloto que é mulher de Toto Wolff, antigo acionista e diretor da Williams e atual diretor executivo da escuderia da Mercedes na F1.

Susie, 30 anos, entrou para a Williams em abril de 2012 com funções de piloto de desenvolvimento. A maior parte do seu trabalho em 2013 vai limitar-se ao simulador, mas isso não lhe tira vontade de chegar às pistas:

"Nos testes que fiz em outubro senti o que é pilotar um carro de F1. Correu tudo muito bem, não ouve problemas físicos, nem de não ser capaz de dominar o carro. Eles sabem que não é algo que está além das minhas capacidades. Por isso, não acho que seja irrealista."

"Não vou dizer categoricamente que quero fazer parte da grelha de partida na próxima temporada. O plano é tirar a superlicença, ter mais tempo no carro, ajudar a equipa e ir passo a passo", encerrou.

Giovanna Amati foi a última mulher a competir na F1, em 1992, pela Brabham mas, como falhou na qualificação para três corridas, acabou dispensada pela escuderia.

Antes, entre 1974 e 1976, Lella Lombardi participou em 17 corridas e somou 0,5 pontos (6.º lugar) no GP da Espanha (1975), aos comandos de um March 751, com motor Cosworth.

Posts Relacionados