SP pode perder GP do Brasil de F1

quinta-feira, 7 de fevereiro de 2013


Bernie Ecclestone visualiza maquete do autódromo do Beto Carrero, em Santa Catarina (Divulgação/Beto Carrero)
Bernie Ecclestone visualiza maquete do autódromo do Beto Carrero, em Santa Catarina (Divulgação/Beto Carrero)
A partir de 2015, o GP do Brasil pode ser disputado em Santa Catarina, segundo informações publicadas nesta quinta-feira pelo jornal “O Estado de São Paulo”.

De acordo com o diário paulista, que afirma ter ouvido fontes próximas à FOM (Formula One Management), o acerto é iminente. Para receber a F1, o governo catarinense estuda construir um autódromo próximo ao parque de diversões Beto Carrero World, em Penha, interior do Estado. Não foram informados detalhes sobre o prazo de construção do circuito.

O motivo por trás da transferência seria o descontentamento de Bernie Ecclestone com a demora na reforma do autódromo de Interlagos. No fim do ano passado, o dirigente conversou com o ex-prefeito de São Paulo, Gilberto Kassab, e o novo empossado Fernando Haddad, mas nenhuma decisão foi assumida.

Para piorar, no orçamento da Prefeitura, nenhuma verba para a modernização de Interlagos foi incluída, embora a SPTuris, empresa municipal responsável pelo autódromo, tenha apresentado em maio de 2012 um projeto que previa a criação de uma nova área de boxes e de arquibancada para a atual temporada. O plano inclusive agradou Ecclestone, que estaria inclinado a estender o contrato com os paulistas até 2020.

Meses depois, no entanto, o chefão da F1, convidado pelo presidente do parque Alex Murad, visitou as instalações do Beto Carrero e ficou animado com a boa infraestrutura do local.

Ainda naquele mês, o dirigente disse ao Tazio que tinha interesse em promover um GP com melhor estrutura e apoiou a ideia de migração. “Por quê não? Vimos isso acontecer entre Rio e São Paulo [no passado]”, explicou, durante coletiva de imprensa na capital paulista.

Segundo o “Estadão”, Murad espera até março uma afirmativa da FIA quanto à aprovação ou não do projeto em Santa Catarina. O governo de São Paulo, por sua vez, considera as chances da F1 sair do estado como “mínimas”. A vice-prefeita Nádia Campeão será a responsável pela renovação do contrato com a FOM – que se encerra no fim do ano que vem.

fonte: tazio.com.br

Posts Relacionados