Moto 1000 GP: Depois de testes, Colatreli aposta em pódio na segunda etapa

quarta-feira, 15 de agosto de 2012

http://grelak.com.br/e-marketing/alta/7a296ca5490ef171a1886accb08cf09e.JPGQuinto colocado na pontuação da categoria GP 1000, Murilo Colatreli viaja ao Paraná nesta semana determinado a conquistar seu primeiro pódio na temporada de 2012 do Moto 1000 GP. O piloto paulista da Colatreli Racing diz-se pronto para as dificuldades que espera enfrentar na segunda etapa, cujas corridas serão disputadas neste domingo (19) no Autódromo Internacional de Curitiba, localizado na cidade de Pinhais.

“Estou bem mais preparado agora do que estive para a corrida em São Paulo”, garante o piloto, citando a etapa que abriu a temporada em Interlagos no dia 17 de junho, quando foi quinto colocado depois de largar em sexto. “Lá eu acabei não conseguindo acompanhar o ritmo dos líderes até o fim. Foi uma questão de acerto. Tivemos um ritmo forte, mas não o suficiente para ganhar. A nossa condição agora é melhor”, avalia.

Colatreli fez testes na pista de Interlagos depois da primeira corrida do ano. “A gente aprimorou os ajustes da moto e o resultado foi positivo. Confesso que na primeira etapa tivemos um pouco de dificuldade por falta de acerto na moto. Agora a adaptação está bem melhor”, afirma o piloto, que atua no Moto 1000 GP com apoio de Kawasaki, Âncora Consórcios, Lion, L’Áquila, Bell, Texx, MaxRacing, Akrapovic, EK e Beto Loko Motors.

É Colatreli o único piloto da equipe. “Até tenho estrutura e condições técnicas para atender mais pilotos na categoria, e atender muito bem, tanto no suporte técnico quanto no trabalho de pista. Como nossa sede fica um pouco longe de São Paulo, acaba não havendo procura por essa estrutura”, comenta o piloto da cidade de Monte Alto, a 350 km da capital paulista. “Enquanto isso, o foco é total no trabalho em torno da minha moto”, ele diz.

O traçado de 3.695 metros do circuito paranaense não é o de maiores exigências técnicas do calendário, segundo observa Colatreli. “É uma pista rápida, onde o piloto precisa ter mais coragem que técnica. Muita gente anda forte em Curitiba, é uma pista que não tem uma dificuldade adicional. A entrada da reta dos boxes, com uma curva longa e um muro muito próximo, e o S de alta são pontos onde você arrisca um pouco mais”, analisa.

Depois da etapa de Curitiba, o Moto 1000 GP levará suas disputas aos autódromos de Santa Cruz do Sul (RS), Brasília (DF), Cascavel (PR) e Rio de Janeiro (RJ). As corridas são transmitidas pela Record News e pela Record Internacional, além da exibição, com áudio e vídeo, no site da competição. Em 2012, o Moto 1000 GP tem patrocínio de Petrobras, Lubrax, BMW Motorrad e Michelin, com apoios de Beta, Shoei, Bell, Servitec, Tutto Moto e Ohlins.

Após uma etapa, a classificação da categoria GP 1000 no Moto 1000 GP é a seguinte:

1º) Alan Douglas (SP), Kawasaki, 25
2º) João Simon (SP), Kawasaki 20
3º) Pierre Chofard (SP), Kawasaki, 17
4º) Luciano Ribodino (ARG), BMW, 13
5º) Murilo Colatreli (SP), Kawasaki, 11
6º) Jaime Pereira Cristobal (SP), Kawasaki, 10
7º) Alberto Braga (RJ), Suzuki, 9
8º) Eduardo Costa Neto (SP), Honda, 8
9º) Ricieri Luvizotto (SP), Aprilia, 7
10º) Sérgio Laurentys (SP), BMW, 6
11º) Gustavo Rodríguez (PR), BMW, 5
12º) Elson Tenebra Otero (SP), Kawasaki, 4
13º) Marcos Christian Salles (PR), BMW, 3
14º) Antonio Bortulucci (SP), Yamaha, 2
15º) Carlos Quintas (RJ), Kawasaki, 1
15º) Alexandre Barros (SP), BMW, 1

Posts Relacionados