Fernando Alonso: Não mereço mais títulos do que aqueles que consegui

segunda-feira, 4 de junho de 2012

Fernando Alonso considerou que só mereceu vencer o Mundial de F1 em 2005 e 2006, ao serviço da Renault, recusando lamuriar-se. Em entrevista à rádio Cadena Ser, o agora espanhol da Ferrari assumiu ainda que Lewis Hamilton (McLaren-Mercedes) é o rival que mais respeita e que na F1 atual os engenheiros são mais importantes do que os pilotos.

"Não mereço mais títulos do que aqueles que consegui. Quero que as pessoas me vejam como um trabalhador. Os resultados podem ser melhores ou piores e a sorte também, mas quero que não haja um dias em que não dedique todo o tempo ao meu trabalho", frisou o líder do Mundial.

"Não quero que me recordem como o melhor e sim como que mais trabalha para conhecer os dados dos circuitos, na análise dos rivais... ", acrescentou o espanhol na entrevista.

Entre os "sins" está a resposta à pergunta do jornalista: "Hamilton é o piloto que mais respeitas?". - o que é interessante, tendo em conta o relacionamento tempestuoso que o espanhol manteve com o britânico na McLaren, em 2007 (saíu no final da temporada).

E, claro está, o assumir implicitamente que os aspectos técnicos dominam a F1 atual. "Os engenheiros exercem mais influência do que os pilotos?" Resposta: "Sim".

Seguindo o mesmo raciocínio, "Adrian Newey [diretor técnico da Red Bull-Renault], tem mais peso nos dois títulos de Sebastian Vettel do que o alemão?" - "Sim".

Nos "nãos" figura a garantia de que não sentiu "ansiedade" por não estar a conseguir vitórias:

"Tenho a certeza de que voltarei a ser campeão, mas não sei se será este ano que cairá o terceiro [título]."

No que toca à temporada atual, Alonso destaca: "Tivemos sorte com os resultados. Os problemas de competividade do carro eram óbvios e temos trabalhado dia e noite para melhorar, o que estamos a conseguir, embora ainda falte muito para chegar onde queremos estar."

"Temos a melhor equipa do Mundo e houve uma reação muito forte de todos. Há muita margem para progredir e descobrimos coisas novas todos os dias. Esperamos que seja suficiente. O facto de não existir um [piloto] dominador é importante. Existe diversidade e oxalá que isso no continue a favorecer", acrescentou o espanhol, que confessou ter "sofrido muito" com a separação de Raquel del Rosario.

Posts Relacionados