F-Truck: Neusa atribui sucesso em Caruaru ao "efeito Beto Monteiro"

segunda-feira, 7 de maio de 2012

http://grelak.com.br/e-marketing/alta/d498d5f7896fc148d97d72909630c716.JPGPresidente da Fórmula Truck avaliza estratégia de focar a mídia da etapa no ídolo do automobilismo pernambucano.

O terceiro evento da temporada do Campeonato Brasileiro de Fórmula Truck consolidou no último domingo (6) um dos maiores sucessos de público da história recente da categoria. O GP Bridgestone-Bandag reuniu mais de 40 mil espectadores ao Autódromo Internacional Ayrton Senna, em Caruaru, onde o paranaense Wellington Cirino venceu. O pernambucano Beto Monteiro foi o terceiro na corrida e segue líder dos dois campeonatos em disputa.

Faltavam mais de duas horas para a largada, no domingo, quando as bilheterias esgotaram as vendas dos mais de 40 mil ingressos confeccionados para o evento. Havia mais de cinco mil pessoas nas filas quando os ingressos se esgotaram. Durante toda a manhã, congestionamentos tomaram as rodovias da região do autódromo. “O público só não foi maior porque não cabia mais ninguém lá dentro”, disse a presidente da F-Truck, Neusa Navarro.

Além dos mais de 40 mil torcedores nas arquibancadas, Neusa estima que cerca de 5.000 pessoas tenham acompanhado o evento dos camarotes e áreas vip, incluindo nesse total os integrantes das equipes de competição e as equipes de trabalho, tanto na área de boxes quanto nas demais dependências do autódromo. “Nós sempre temos uma resposta muito positiva do público de Pernambuco, isso acontece desde a primeira corrida aqui”, falou.

A expectativa de público foi atingida mesmo com a forte concorrência que a F-Truck enfrentou do futebol pernambucano. Só de Caruaru saíram, na manhã do domingo, 32 ônibus lotados de torcedores que foram ao estádio do Arruda, no Recife, para o jogo entre Santa Cruz e Sport, além das milhares de pessoas que viajaram à capital do estado em carros e vans para acompanhar o jogo – o público no estádio foi de mais de 44 mil torcedores.

Foi a 15ª vez que a categoria teve um evento em Caruaru, onde corre desde 1997 – não houve a etapa pernambucana na temporada de 2003. “Além do gosto do pernambucano pelo automobilismo, um dos motivos que eu vejo para o sucesso desse evento foi a mudança do foco da nossa estratégia. Nós focamos toda a divulgação, toda a mídia, no Beto Monteiro, que é um ídolo do automobilismo daqui. Foi uma estratégia acertada”, ponderou Neusa.

A presidente da categoria reconhece que o piloto foi o responsável por uma fatia considerável do sucesso do fim de semana. “Ele está em um grande momento, vinha de duas vitórias. Ele trouxe muita gente para o autódromo, sem dúvida. E ao fator Beto Monteiro nós podemos somar o carinho do povo pernambucano pela categoria e também pelo próprio Beto. O que nós fizemos foi potencializar todos esses fatores, e deu certo”, ela definiu.

Segundo uma estimativa do presidente da Federação Pernambucana de Automobilismo, Waldner Bernardo, a realização do GP Bridgestone-Bandag injetou aproximadamente R$ 3,5 milhões na economia de Caruaru. “O retorno dado pela Fórmula Truck à cidade justifica o investimento feito na revitalização do autódromo”, considerou o dirigente, que acompanhou a corrida ao lado do presidente da Confederação Brasileira, Cleyton Pinteiro.

Posts Relacionados