Possível rival de Massa em 2013, francês prioriza testes na Ferrari

quarta-feira, 30 de novembro de 2011

Jules Bianchi compareceu ao evento convidado por Felipe Massa. Foto: Bruno Santos/Terra Cobrado publicamente por Luca di Montezemolo, presidente da Ferrari, Felipe Massa vai começar 2012 pressionado por bom desempenho. No ano em que seu contrato com a escuderia se encerra, um potencial rival na briga pela vaga de titular em 2013 vai deve dedicar exclusivamente aos testes na equipe italiana: o francês Jules Bianchi.

Bianchi confirmou que não deve seguir competindo pela GP2. "Não está nos planos. Estou tentando achar uma equipe com meu empresário. Vamos ver, mas acho que não vou correr a GP2", apontou, antes de disputar amistoso no Estádio do Morumbi durante evento beneficente na terça-feira. Em 2011, ele pilotou na categoria pela equipe Lotus ART e terminou na terceira colocação.

Além disso, Bianchi dividiu os testes da Ferrari com o mexicano Sérgio Perez. Os dois fazem parte da Academia de Pilotos da escuderia italiana e poderiam ser acionados caso Massa fique abaixo do esperado em 2012 novamente. A relação de Bianchi com seu potencial rival se mostra boa. Eles chegaram juntos ao Morumbi para participar do evento beneficente.

"Felipe é como um grande amigo agora. Eu o conheci há três anos. Nós temos o mesmo empresário. Gosto bastante dele, é um cara engraçado. É muito bom estar com ele durante toda a temporada", exaltou o francês, que sofreu ao lado do brasileiro diante dos problemas encontrados em 2011. A equipe não deslanchou e ficou muito atrás das concorrentes Red Bull e McLaren. "Tenho certeza que 2012 vai ser muito melhor para a Ferrari. Com certeza haverá melhorias, estão trabalhando nisso", apontou.

Se essa expectativa não se confirmar, há possibilidade de se tornar rival do brasileiro pela vaga na escuderia. Essa disputa interna não é novidade para Jules Bianchi, que aprendeu com o próprio Massa e seu companheiro de equipe, Fernando Alonso, como lidar com isso. Se antes a relação entre os pilotos titulares parecia conflituosa e desconfiada, agora é harmoniosa na medida do possível, segundo sua avaliação.

"É claro que eles são rivais, porque correm na mesma equipe e competem o mesmo campeonato. Mas acho que têm uma relação muito boa, sem brigas ou algo assim. Eles têm um espírito muito bom. Isso é positivo para a equipe. Você não pode brigar com seu companheiro toda vez, porque senão vira bagunça", analisou o francês. Nesta terça-feira, ele jogou no time de Felipe Massa durante o amistoso no Morumbi.

fonte: terra.com.br
Foto: Bruno Santos/Terra

Posts Relacionados