Espanhóis criticam Interlagos e falam em "semáforo dos assaltos"

sexta-feira, 25 de novembro de 2011

Uma matéria intitulada de "o ponto negro do Mundial" publicada pelo diário esportivo de Madri Marca critica a falta de segurança em São Paulo. Segundo o jornal, "as quadrilhas ameaçam as equipes (da Fórmula 1) inclusive dentro do circuito de Interlagos". Para o veículo, a situação piora a 200 m do autódromo, onde fica localizado "o semáforo dos assaltos", conforme chamaram os espanhóis.

O semáforo em questão é o mesmo no qual o inglês Jenson Button foi assaltado na semana da prova do ano passado. Ele estava acompanhado do pai, John, do empresário Richard Goddard e do preparador físico Mike Collier, quando seu Mercedes esportivo foi cercado por seis pessoas portando armas de fogo.

Apesar do susto, Button negou ter medo no retorno a São Paulo. Acompanhado de escolta policial, ele chegou inclusive a ser barrado na entrada de Interlagos nesta quinta-feira. "Parece que neste ano começa a mudança de imagem em torno dos pilotos da Fórmula 1", apontou o Marca, lembrando que a segurança foi reforçada para 2011.

"O governo brasileiro começou uma operação de grande escala contra a delinquência que tem como objetivo melhorar a segurança das ruas para os grandes eventos esportivos que o país acolherá em poucos anos", prosseguiu o diário, em referência à Copa do Mundo de 2014 e aos Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro, em 2016.

Mesmo com a segurança reforçada, o Marca analisou que "não é nada complicado" para os bandidos seguirem os pilotos e as equipes de F1, visto que os carros deixam o circuito com uma credencial no pára-brisas que permite a identificação por parte dos criminosos.

O diário destacou ainda a presença de uma delegacia da política militar muito próxima ao circuito. "O gravemente curioso é que há uma delegacia a menos de 50 metros. De lá se pode 'apreciar' o lugar que teve a maior parte dos assaltos nos últimos anos", reporta o jornal, citando novamente o polêmico semáforo.

Por fim, o veículo dá "conselhos básicos" que segundo os espanhóis precisam ser conhecidos por todos os "não iniciados" na cidade paulista: "não baixar os vidros do carro em hipótese alguma; não ficar nunca parado na pista do meio de uma avenida com três (faixas), para ter uma via de escape; vigiar os movimentos suspeitos na parte da frente e na de trás do veículo por meio dos retrovisores. Nunca se sabe por onde você será abordado pelos bandidos", concluiu a reportagem.

fonte: terra.com.br

Posts Relacionados