Bi da Seletiva e apoiado por Emerson, Guimarães busca reinício pelo kart

quarta-feira, 23 de novembro de 2011

Um passo atrás para dar dois na frente. Esta máxima está bem presente na cabeça de Felipe Guimarães, de 20 anos, que levou o bicampeonato da Seletiva de Kart após a vitória na edição 2011, disputada na cidade de Registro, no interior de São Paulo. Com o apoio de Emerson Fittipaldi, bicampeão da Fórmula 1 em 1972 e 1974, o brasililense esteve na Europa por algum tempo e disputou temporadas em categorias como a A1GP e a GP3. Só que os problemas apareceram.

Felipe Guimarães Emerson Fittipaldi A1GP (Foto: Divulgação/A1GP)

Apesar do apoio ilustre, os patrocínios e o dinheiro rarearam. Guimarães foi obrigado a retornar ao Brasil e tentar um recomeço. Ele voltou ao kart e vai aproveitar os R$ 110 mil do prêmio da Seletiva para tentar começar a refazer seu caminho ao automobilismo europeu. Ele espera que o segundo título o ajude a atrair parceiros para a nova empreitada.

Felipe Guimarães é bicampeão da Seletiva de Kart, em Registro (Foto: Fabio Oliveira/Divulgação)
- Um piloto que pretende chegar lá em cima precisa sempre estar em evidência. A Seletiva é um ótimo campeonato para quem procura patrocínio. Não podia fechar o ano de forma melhor. Ainda não estamos negociando 2012. A gente sempre planeja, mas sem dinheiro é difícil. R$ 110 mil é uma boa grana, mas ainda não é o suficiente para fazer duas corridas na Europa. Aprendi muito, cresci muito. Se eu for para lá no ano que vem, estarei muito mais preparado. Tomara que dê tudo certo. A gente aprende a ser mais constante, mas é claro que tem de contar com a sorte - disse.

Guimarães pilotou pela equipe brasileira, que era comandada por Emerson Fittipaldi, na última temporada da A1GP, já com os carros fabricados pela Ferrari. O bicampeão, que elogiou muito seu pupilo no início da carreira, continua a trabalhar para que o brasiliense volte ao topo na Europa. O sonho do piloto é voltar a pilotar um carro fabricado pela equipe italiana. Mas desta vez na F-1.

- Ainda tenho o apoio do Emerson. Ele está comigo, me ajuda a captar patrocínio. Estamos juntos, ele continua a acreditar em mim e me dá vários conselhos. O cara tem 60 anos, bicampeão da Fórmula 1, está no mundo do automobilismo até hoje. Aprendo toda vez que converso com ele. Os elogios não trouxeram pressão. Não me concentro nessas coisas. Minha passagem pela A1GP foi boa, tanto que fiquei até o fim da temporada. Aquele carro fabricado pela Ferrari era o melhor que guiei. Não esqueço nunca dele. Meu sonho é andar agora com uma vermelhinha na Fórmula 1.

Felipe Guimarães Ferrari Brasil A1GP (Foto: Divulgação/A1GP)

Felipe Guimarães, que correu na GP3, confessa não ter conversado muito com os brasileiros da Fórmula 1. Mas confessou sua admiração a Fernando Alonso, Sebastian Vettel e o ex-companheiro Sergio Pérez. Para ele, o mexicano tem um ótimo futuro na categoria.

- Ah, só cumprimentava os brasileiros. Eles tinham os afazeres deles e eu os meus. Mas conheci outros pilotos, como o Sergio Pérez, que foi meu companheiro de equipe. Ele é ótimo e tem um grande futuro pela frente. A Fórmula 1 tem vários pilotos bons, mas o Alonso é excepcional. Admiro muito ele. Por ele ser mais experiente, dá para absorver bastante dele. O Vettel é bicampeão mundial, novo demais. Lembro quando ele ganhou em Monza de STR. É o moleque da hora. Você vê pela comparação dele com o Mark Webber, companheiro dele. É extraordinário.

fonte: globo.com

Posts Relacionados