Ecclestone pede volta de Mosley ao comando da FIA

segunda-feira, 24 de outubro de 2011

Dois anos após apoiar a saída de Max Mosley do comando da Federação Internacional de Automobilismo (FIA) por causa de um escândalo sexual, Bernie Ecclestone, principal dirigente da Fórmula 1, está arrependido de não ter apoiado o amigo.

- Uma das piores coisas que fiz na minha vida, e eu me envergonho disso, é não ter defendio Max Mosley quando ele teve problemas. Não tem desculpa. Sei que cometi um erro. Fui convencido por executivos e dirigentes de bancos e empresas que a saída dele seria a melhor opção - afirmou em entrevista ao jornal alemão "Welt am Sonntag".

Em 2008, o extinto jornal "News of the world" noticiou que Mosley se envolveu em uma orgia com cinco prostitutas vestindo trajes nazistas. Para Ecclestone, a vida sexual de Mosley não deve ser problema de mais ninguém.

- O que ele faz dentro do quarto não tem nada a ver com a Fórmula 1. Agi mal em não defendê-lo. Já pedi desculpas pessoalmente a Max e também publicamente perante o Conselho Mundial da FIA.

O mandatário também afirmou que sonha com o retorno de Mosley no comando da Federação Internacional de Automobilismo.

- Não tenho nada contra o atual presidente (Jean Todt), mas gostaria de ver Max no comando mais uma vez.

fonte: terra.com.br

Posts Relacionados