STOCK CAR: 'Especialistas' na SuperFinal contam os segredos para triunfar na decisão

sexta-feira, 9 de setembro de 2011

A partir do próximo dia 18, na pista de Santa Cruz do Sul, dez pilotos iniciarão a disputa pelo título da temporada 2011 da Stock Car. No sistema de SuperFinal, adotado desde 2006, os dez melhores da primeira fase do campeonato são repontuados e entram nas quatro etapas finais com chances reais de ficar com a taça. Entre os candidatos deste ano, alguns podem ser considerados "figurinhas carimbadas" deste formato. Cacá Bueno e Ricardo Maurício são os únicos que estiveram presentes em todas as seis edições da SuperFinal.

Stock Car: Ricardo Maurício e seu bom humor (Foto: Duda Bairros)
Campeão de 2008, Ricardo Maurício participou de todas as edições da SuperFinal (Foto: Duda Bairros)
- Nesta fase, você precisa estar bem preparado mentalmente, fazer bons pits, boas estratégias, e contar com a sorte também. Ano passado, estourou um pneu na penúltima prova e meu campeonato praticamente acabou ali. Classificar na frente ajuda muito, deixa um leque mais aberto de estratégias. Estamos com os dois carros na SuperFinal, e isso dá mais gana a todos no time, para buscar sempre o melhor acerto, o melhor resultado – analisa o campeão de 2008, que corre com o carro 90 da equipe RC.

Juntos, Cacá e Ricardinho somam quatro títulos na Stock Car, todos conquistados nos últimos cinco anos. O quinto campeonato desta série pertence a Max Wilson, que em 2011 disputará a fase decisiva pela terceira vez. O piloto do carro 65, atual campeão da categoria, pertence a outro grupo: o dos que marcaram presença na fase decisiva desde sua primeira temporada completa, caso também de Marcos Gomes e Átila Abreu. O piloto da Full Time, que foi vice-campeão em 2008, admite que á preciso sangue frio para alcançar bons resultados, e que a ajuda do companheiro pode ser fundamental.

Xandinho Negrão e Marcos Gomes no Alemão (Foto: Miguel Costa Jr. / Stock Car)
Marcos Gomes, à direita, conta com a ajuda de seu
parceiro Xandinho Negrão (Foto: Miguel Costa Jr.)
- Para mim sempre foi a mesma coisa: fazer o melhor na classificação e sem assumir riscos que possam tirar da corrida. Mas é fundamental chegar entre os quatro ou três primeiros. Até o Xandinho Negrão, meu companheiro de equipe, está consciente disso e vai ajudar no que for possível. A equipe sempre tem um motor melhor e ele certamente irá para o carro de quem está brigando pelo título. No ano passado, perdi as chances depois das duas primeiras corridas dos playoffs e depois disso procurei dar uma força para o Allam Khodair, então meu parceiro de equipe – confessa o piloto do carro 80, que já marcou duas poles e detém a melhor posição média de largada desta temporada.

Já o líder do campeonato, Thiago Camilo, só não entrou uma vez na SuperFinal. Foi justamente no ano passado, e por apenas um ponto. Em 2011, no entanto, a situação foi bem diferente. Ele chegou ao fim da primeira fase com tanta vantagem que o descarte de seus dois piores resultados equivaleria, em pontos, à 16ª posição no campeonato. Vencedor de três provas nesta temporada, ele encara com tranquilidade a queda de sua vantagem para apenas cinco pontos nesta fase final.

- Daqui em diante, começa um campeonato novo. Estamos muito bem, mas o trabalho em equipe, no acerto do carro, ainda pode evoluir. Se não tivesse a SuperFinal, a esta altura estaríamos administrando a diferença rumo ao título. Mas, neste sistema, é como se tivéssemos vencido apenas uma corrida, antes de encarar as quatro decisivas. Vencemos a primeira, entramos com a maior vantagem possível dentro desta regra. Agora é trabalhar para mantermos o nível de competitividade – frisa o piloto da RCM, vice-campeão da temporada 2009.

stock car thiago camilo corrida do milhão (Foto: Fernanda Freixosa / Stock Car)
Vencedor de três provas na temporada,Thiago Camilo tenta seu primeiro título (Foto: Fernanda Freixosa)

fonte: globo.com

Posts Relacionados