Mercedes frustra Schumacher e vê briga por título só em 2013

terça-feira, 13 de setembro de 2011

Schumacher, de 42 anos, tem poucas chances de brigar pelo octa - a não ser que renove o contrato. Foto: AFP A expectativa de Michael Schumacher de deixar a Fórmula 1 com mais um título mundial não deve se concretizar. Chefe da Mercedes, Ross Brawn afirmou nesta terça-feira que a equipe só deve brigar para conquistar o Mundial de Pilotos em 2013 - um ano após o encerramento do contrato do alemão.

"É evidente que não estamos onde queríamos e só pretendo melhorar a cada ano", disse Brawn em entrevista ao jornal espanhol El País. "Está claro que não podemos estar satisfeitos porque, no ano passado, estávamos em quarto e, neste ano, continuamos ali. No próximo, devemos lutar com o terceiro ou o segundo colocados e, em 2013, pelo título".

Caso a previsão do dirigente se confirme, ela frustrará bastante Schumacher. Heptacampeão mundial, ele retornou à Fórmula 1 em 2010, assinando um contrato de três anos e dizendo que esperava conquistar pelo menos mais um título.

Antes parceira da McLaren, a Mercedes voltou a ter uma escuderia própria na categoria no ano passado, quando comprou a Brawn GP. Desde então, conquistou no máximo três terceiros lugares em 2010, sempre com Nico Rosberg. Nesta temporada, o melhor resultado é uma quarta colocação obtida por Schumacher.
O ex-dirigente da Ferrari aproveitou para explicar que a comparação com a Brawn GP, surpreendente campeã de construtores e de pilotos com Jenson Button no volante em 2009, não é justa.

"Naquela época a equipe vivia uma transição muito importante, porque em 2008, na Honda, tínhamos cerca de mil pessoas trabalhando no projeto da F-1: 758 em Brackley e mais 200 no Japão. A transformação de Honda em Brawn foi dramática, mas isso não afetou muito o carro, porque já estava feito", finalizou.

fonte: terra.com.br
foto: AFP

Posts Relacionados