De volta a Cingapura, Massa ainda sofre com farsa de Nelsinho e Renault

quinta-feira, 22 de setembro de 2011

Massa perdeu título em 2008 por um ponto; GP de Cingapura, manipulado por Nelsinho, foi decisivo. Foto: ReutersA perda do título mundial em 2008 segue sendo uma ferida aberta para Felipe Massa. O retorno a Cingapura, palco da 14ª etapa da Fórmula 1 de 2011 neste fim de semana, faz o brasileiro se lembrar da polêmica corrida no país asiático cujo resultado foi manipulado por Nelsinho Piquet três anos atrás. 
 
No Grande Prêmio de Cingapura de 2008, Nelsinho bateu sua Renault propositalmente contra o muro na reta principal do circuito para provocar a entrada de um safety car e ajudar seu companheiro, o espanhol Fernando Alonso. A manobra foi combinada com o italiano Flavio Briatore, então chefe da equipe francesa.
Bendita para Alonso, a batida de Nelsinho na 14ª volta colocou o título de Massa a perder. Isso porque o experiente piloto, 30 anos, que havia marcado a pole position e liderava a corrida, viu-se obrigado a adiantar sua parada nos boxes. No pit lane, um erro do "pirulito eletrônico" da Ferrari liberou a partida do paulista quando a mangueira de reabastecimento estava engatada no carro.

Massa ainda conseguiria terminar a prova, mas na modesta 13ª posição. Ao final, perderia o título para o inglês Lewis Hamilton mesmo vencendo a corrida final, no Brasil, por um ponto de diferença.
Convidado pelo diário espanhol Marca a falar sobre o episódio, o brasileiro afirmou que "passado é passado" e que já havia respondido "45 mil vezes" a mesma pergunta. Meio a contragosto, admitiu que ainda não se esqueceu dos preciosos pontos perdidos em Cingapura.

O veículo também comentou o assunto com Alonso, que negou já ter tratado do tema alguma vez com Massa. O ex-piloto da Renault minimizou a história, ressaltando que "quando falta um ponto para ganhar o Mundial você se recorda de todas essas coisas" e que em 2008 "Felipe perdeu pontos por outros motivos" também. Ele citou como exemplo o GP da Hungria, em que o ferrarista ocupava a ponta e viu o motor de seu veículo explodir faltando apenas três voltas para a bandeirada.

O brasileiro também comentou sobre a prova em Hungaroring, mas descartou a comparação proposta pelo bicampeão mundial, lembrando que em Cingapura houve "um erro nos boxes derivado de um carro de segurança inexistente".

fonte: terra.com.br
Foto: Reuters

Posts Relacionados