STOCK CAR: Thiago Camilo: 'Vencer é legal, mas piloto escreve sua história com títulos'

segunda-feira, 8 de agosto de 2011

Stock car Thiago Camilo (Foto: Alexander Grünwald / TV Globo) 
Em casa, Thiago Camilo exibe o troféu da Corrida do Milhão
 
O mais novo milionário da Stock Car começou a semana tranquilo. Um dia depois de faturar o cobiçado cheque de R$ 1 milhão em Interlagos, Thiago Camilo abriu as portas de seu apartamento em São Paulo para uma conversa franca com o GLOBOESPORTE.COM. O líder do campeonato contou como lidou com os diversos problemas ao longo da prova, a pressão pela vitória e falou de seus planos para investir o prêmio. Mas ressaltou: ‘Vencer é bom, porém quero o título acima de tudo’.

GLOBOESPORTE.COM: Como é acordar milionário? Você já planejou o que fazer com o prêmio?

Thiago Camilo: É bom acordar e lembrar, de imediato, que você fez algo de relevante no dia anterior. É uma prova especial, um prêmio especial, e não é um dinheiro para sair gastando. Vou investir uma parte e usar o resto para construir uma casa no interior de São Paulo, em um terreno que comprei recentemente. O engraçado é que as pessoas que me pediram para pagar um jantar caso eu vencesse a prova estão pipocando de todos os cantos. Depois que você ganha é que lembra quantos jantares prometeu. Se eu não segurar a onda, gasto o milhão só jantando com a galera!

Largando do sétimo lugar, você sabia que teria muito trabalho pela frente. Ainda assim manteve a crença na vitória?

Não só eu, mas toda a minha equipe e a minha família. Mesmo largando mais atrás, eu sabia que teria um carro muito bom para a corrida. Só encontramos o acerto ideal na parte final da classificação, mas, desde que fizemos esta mudança, tive muita confiança de que poderíamos conquistar esta vitória. No sábado à noite, minha mãe veio falar comigo e disse que era para eu ter calma, que eu venceria. Pressentimento de mãe ou não, o fato é que deu certo.

Durante os 70 minutos de prova, qual foi o momento crucial para a conquista da Corrida do Milhão?
 
Claro que ter superado o Marcos Gomes na metade da prova, quando ele estava com problemas na suspensão, foi fundamental, porque ele acabou segurando o resto do pelotão e eu pude abrir uma boa vantagem. Mas isso só foi possível porque eu fiz uma ultrapassagem dupla na Curva do Sol sobre o Allam Khodair e o Daniel Serra, por fora, que foi decisiva para minhas pretensões de vitória. Aproveito para ressaltar a lealdade do Serrinha naquele momento, já que, naquela situação, qualquer encostadinha é suficiente para desequilibrar o carro de quem está à frente. Mesmo valendo o milhão, ele foi muito limpo na disputa.

Foi uma prova em que você enfrentou muitos problemas. Em algum instante pensou que não conseguiria chegar ao fim da corrida?

Logo no início da prova, fiquei sem comunicação com a equipe, porque o plug do meu rádio se desconectou. Como eles ainda me ouviam, comecei a criar códigos, usando placas, para eu entender qual era minha diferença para os outros pilotos e também se eu precisaria parar outra vez ou não. Desde o pit stop, a telemetria quebrou e a única informação que aparecia no meu volante era da pressão de combustível. Para completar, nas cinco voltas finais, a direção hidráulica falhava, sumindo e voltando. O carro ficou muito difícil de guiar, e quando me dei conta que estava perto de ganhar a Corrida do Milhão, tive que me focar novamente, para não perder a concentração.
Mesmo assim, você abriu o rádio na última volta, pedindo que todos rezassem de mãos dadas.
Acredito na força do pensamento positivo, da energia boa que as pessoas emanam pra gente. O piloto é muito solitário em seu trabalho na pista, e, na volta final, com todos aqueles problemas no carro, abri meu rádio e pedi que todos rezassem, para que pudéssemos concretizar aquele trabalho suado que envolvia tanta gente. Dentro do carro, pedi que tudo desse certo até a bandeirada, e felizmente deu.

Você sentiu algum tipo de pressão por ser uma corrida especial, com mais visibilidade e um prêmio milionário?

Na prática, o piloto encara esta corrida como qualquer outra. É um trabalho não apenas de um fim de semana, mas de um ano inteiro. O milhão é consequência. O que muda é a pressão sobre o time de mecânicos que fica responsável pelos pit stops, que treina muito para não errar na hora da parada e não arruinar a estratégia. Cabe a quem está pilotando passar muita confiança à equipe durante todas as atividades, para manter a equipe unida e sempre tranquila.

Esta foi a sua 10ª vitória na Stock Car, o que te coloca como o segundo maior vencedor em atividade na categoria, apenas atrás do Cacá Bueno. Ainda assim, há pilotos com menos vitórias que já foram campeões, como David Muffato, Giuliano Losacco, Ricardo Maurício e Max Wilson. Isso não te incomoda?

Meus erros me fizeram crescer. Estou mais maduro hoje, não só no aspecto psicológico, como mais forte tecnicamente. Entrei muito jovem na categoria e logo venci corridas, mas batemos na trave algumas vezes pelo título. Sinceramente, não sei se era a hora de ser campeão. Dizem que 2010 foi um ano para esquecer, mas, no meu entendimento, é um ano para ser sempre lembrado, por tudo o que passei e aprendi, mesmo sem vitórias. Isso me fez mais forte e me ajudou a pensar de uma maneira mais ampla. Vencer é legal, mas o piloto escreve sua história com títulos. Estamos trabalhando por isso, mas continuo tranquilo. Afinal, de todos os pilotos com mais de uma vitória na categoria atualmente, sou o mais jovem, então tenho consciência de que ainda há muito a conquistar e de que vou continuar sempre aprendendo.

Sua vantagem na liderança do campeonato é tão grande, que já te garantiu na SuperFinal. É meio caminho andado para o título?

Mesmo que eu não pontue na etapa da Bahia, terminarei a primeira fase do campeonato na liderança. No entanto, depois de Salvador, começa um novo campeonato. Nada está decidido, temos que batalhar por novos pontos. Mas o time está muito bem, sabemos que é uma questão de trabalhar, sempre mantendo a humildade, para alcançar o objetivo maior, que é o título.

Stock car Thiago Camilo (Foto: Alexander Grünwald / TV Globo) 
Com o anel de campeão da Corrida do Milhão, Thiago Camilo comemora a vitória e a liderança do campeonato em seu apartamento, em São Paulo
 
Fonte: globo.com
Foto: Alexander Grünwald / Globoesporte.com

Posts Relacionados