Para Wilson Fittipaldi, demolição de Jacarepaguá é "crime"

sexta-feira, 19 de agosto de 2011

Durante a festa pelo cinquentenário da Confederação Brasileira de Automobilismo (CBA), no Rio de Janeiro, um de seus fundadores, Wilson Fittipaldi, pai de Emerson e Wilsinho, foi homenageado pela entidade. Em seu discurso, ele fez uma dura crítica contra a demolição do autódromo de Jacarepaguá, o que chamou de "um crime".

Fittipaldi também exigiu a construção da pista de Deodoro, arrancando aplausos da plateia e fazendo com que o secretário de alto rendimento do Ministério do Esporte, Ricardo Leyser, imediatamente declarasse que o projeto está na fase final de estudos.

"O prefeito Eduardo Paes pediu que fosse feito um estudo detalhado e nas próximas semanas teremos o projeto. Ele quer que toda a região do entorno, uma das mais carentes do Rio, e os moradores sejam beneficiados", afirmou Leyser aos presentes no hotel Copacabana Palace, entre eles, o presidente da Federação Internacional de Automobilismo (FIA), Jean Todt.

O traçado da nova pista terá 4,5 quilômetros e será em formato de 8, como em Suzuka, no Japão. O dinheiro para a obra (cerca de R$ 150 milhões) já existe, mas ajustes foram necessários e, por isso, a apresentação do projeto, que estava prevista para junho, está demorando mais que o imaginado.

A previsão de entrega de Deodoro é para setembro de 2012, mas, com o atraso no projeto, esse prazo já corre risco. Há um documento assinado pela CBA, Ministério do Esporte, Prefeitura do Rio e Comitê Olímpico Brasileiro (COB) para que a demolição de Jacarepaguá seja feita só depois que Deodoro ficar pronto, mas um acordo foi costurado para que as construções do parque olímpico e do novo circuito sejam simultâneas.

fonte: terra.com.br

Posts Relacionados