Chefe da Hispania nega problemas financeiros na equipe

quarta-feira, 17 de agosto de 2011

No começo de 2011, a Hispania foi a que mais demorou a divulgar seu novo carro, acertá-lo e levá-lo para a pista pela primeira vez, o que fez surgir especulações sobre a condição financeira do time. Entretanto, o chefe da escuderia, Colin Kolles tratou de cravar nesta quarta-feira que sua equipe está estável na categoria e, inclusive, melhor do que algumas concorrentes.

"Minha diretriz é sempre clara. Você tem que assegurar que uma equipe seja financeiramente viável para garantir que sobreviva. Este é um dos nossos objetivos, porque, se você não conseguir isso, pode ter muitos sonhos, mas eles jamais serão realizados porque você não vai existir", explicou em entrevista à publicação britânica Autosport.

"Então, acho que o primeiro passo é sempre garantir a equipe e, depois, você tem que construí-la passo a passo. Acho que a equipe é bastante segura", acrescentou o dirigente, que também revelou a situação de outros times, piores do que a da equipe espanhola.

A Sauber, que também foi questionada no início da temporada, demonstrou estar mais estável graças ao patrocínio trazido por Sergio Pérez, mexicano apoiado pelas empresas de Carlos Slim - o homem mais rico do mundo, segundo a revista Forbes. Já a Williams, que conta com o investimento de uma estatal petrolífera venezuelana, em função do piloto Pastor Maldonado, é colocada como uma das que mais passa por sérios problemas financeiros.

"Eu acho que estamos em uma posição muito melhor do que outros no paddock, e agora temos que começar a melhorar esta equipe com força total, o mais rápido possível. Sei que as pessoas ficam impacientes às vezes, especialmente jornalistas", disse.

O dirigente, que teve passagens pela extinta Spyker e pela Force India (oriunda da primeira), deixou claro que está firme em seu cargo na HRT. Recentemente, o novo grupo dono do time, a Thesan Capital, anunciou Luis Pérez-Sala como novo consultor. "A mim foi dito que eu sou o chefe desta equipe e eu sou o chefe desta equipe, não existe nada a mais ou a menos sobre isso. Estou sempre comprometido", explicou.

Kolles também comentou o desenvolvimento do carro desta temporada, admitindo que os trabalhos visam o ano que vem, mas que 2011 não pode ser deixado para trás. "Estamos preparando as bases da próxima temporada, mas claro que também estamos planejando ter atualizações no nosso carro. Mas as atualizações também podem levar em consideração 2012. É uma evolução. Não vamos dizer que agora isso é lixo. Vamos esquecer tudo e começar do zero", completou.

Para finalizar, o chefe da Hispania reconheceu que o desempenho do time precisa melhorar, mas que agora resta aos pilotos serem inteligentes dentro das pistas. "Poderíamos ter sido 12º em Valência (GP da Europa), mas precisaríamos ter quatro ou cinco voltas a mais. Mas essa é a situação e temos de brigar, sabemos que não somos competitivos em termos de velocidade, somos realistas em relação a isso. Mas talvez nós sejamos em corridas onde podemos tirar vantagem das confusões dos outros", encerrou.

fonte: terra.com.br

Posts Relacionados