McLaren espera recuperar 0,8 segundos em Nürburgring

quarta-feira, 20 de julho de 2011


McLaren espera recuperar 0,8 segundos em Nürburgring -
 De acordo com Jonathan Neale, um dos responsáveis da formação de Woking, a restrição na utilização de gases de escape para fins aerodinâmicos em Silverstone terá custado cerca de 0,8 segundos à McLaren, pelo que agora, com o regresso às regras de Valência, Neale crê na possibilidade de dar luta aos Red Bull.

"Penso que se virem o que aconteceu em Silverstone, o impacto da interpretação das regras dos motores nesse fim de semana custou-nos mais do que à Ferrari e à Red Bull. Isso é um facto público e não uma opinião. Já ouviram pessoas da Ferrari a dizerem que perderam 0,2 ou 0,3 segundos e a Red Bull certamente que perdeu mais do que isso e nós perdemos mais do que essas duas equipas. Por isso, acredito que demos um passo atrás em cerca de 0,8 ou 0,8 segundos", referiu Neale numa conferência de antevisão do GP da Alemanha.

"Estamos expectantes com o regresso dos regulamentos de Valência neste fim de semana. Não estamos, de forma alguma, a menosprezar quer o progresso que a Ferrari fez ou a qualidade do carro que a Red Bull produziu. O nosso trabalho é batê-las às duas e é isso que vamos fazer", acrescentou.

Neale admitiu, ainda, que a McLaren vai continuar apostada em vencer provas e a correr riscos, mesmo que possam não dar os resultados desejados como se viu em Silverstone, quando uma carga de combustível abaixo do necessário obrigou Lewis Hamilton a levantar o pé na fase final.

"A Fórmula 1 é um desporto em que não se pode jogar pelo seguro. Trata-se de correr riscos e tentamos acertar no equilíbrio desses riscos. Um dos exemplos disso foi que nós conscientemente colocámos o Lewis com uma estratégia de menos combustível em Silverstone, dando-lhe a possibilidade de lutar a partir do décimo lugar. Quando se está em décimo com um carro que perdeu cerca de um segundo por volta, dadas as condicionantes dos regulamentos do motor nesse evento, ficar a lutar ao pé dos outros não nos beneficia. Por isso, adotámos uma estratégia agressiva com ele", explicou, deixando a porta aberta para novas experiências.

fonte: autosport.pt

Posts Relacionados