Bernie Ecclestone admite ter pago mas como resposta a ameaças

sexta-feira, 22 de julho de 2011

Envolvido num escândalo de corrupção, Bernie Ecclestone admitiu ao jornal The Daily Telegraph que pagou 44 milhões de dólares (cerca de 30,5 milhões de euros) ao antigo diretor do banco alemão BayernLB, Gerhard Gribkowsky no processo de venda da modalidade em 2006 à CVC. 
Bernie Ecclestone admite ter pago mas como resposta a ameaças -
No entanto, o responsável máximo pela Fórmula 1 garante que apenas o fez porque estava a ser ameaçado por Gribkowsky de que iria levantar problemas para o seu lado junto das autoridades financeiras britânicas caso não o fizesse.

A braços com a justiça alemã, Gribkowsky está acusado de corrupção, fraude fiscal e fuga às respetivas obrigações financeiras enquanto funcionário do banco. Intermediário da venda de 48 por cento das ações do BayernLB na SLEC Holdings, antiga detentora dos direitos comerciais da F1, Gribkowsky é acusado de ter recebido um suborno de Ecclestone no valor de 44 milhões de dólares para negociar as ações a preço mais baixo.

Agora, Ecclestone, envolvido formalmente neste caso, confessou ao jornal The Daily Telegraph que efetuou o pagamento dessa verba, não como suborno mas como correspondências às 'exigências' de Gribkowski de que iria denunciar às autoridades financeiras britânicas o suposto envolvimento de Ecclestone na Bambino Holdings,. Na sequência dessa alegada ameaça, Ecclestone decidiu, após consulta com o seu advogado, pagar a quantia de forma a evitar uma longa e ainda mais custosa caminhada em tribunais para provar a sua inocência caso a denúncia fosse mesmo feita.

"Eu nunca tive nada a ver com essa entidade [Bambino Holdings] de qualquer forma, mas ele ameaçou dizer que eu a estava a gerir", defendeu-se Ecclestone, acrescentando ainda que a única coisa que fez foi transferir uma parte das suas ações para a Bambino Holdings num momento em que temia pelo seu estado de saúde como forma de precaver a herança para a sua esposa na altura, Slavica. Isto porque não tendo Slavica Ecclestone morado o tempo suficiente no Reino Unido, teria que pagar taxas exorbitantes na altura de receber a herança. "Não havia nada de errado com esse fundo, mesmo nada", reforçou.

"Ele nunca me disse que se não lhe desse o dinheiro, ele diria o que estava a ameaçar. Ele apenas me deixou com o facto de que o poderia fazer ou não", disse Bernie, enfatizando que nunca subornou ninguém, mas lembrando aquilo que os seus advogados lhe disseram quando os interrogou da possibilidade de existir uma denúncia de Gribkowsky: "Eles disseram-me 'eu digo-te o vai acontecer, as Finanças vão fazer uma auditoria e tu terás de te defender, porque o poderás fazer, e estarias três anos em tribunal e isso iria custar-te uma fortuna. É melhor pagar'".

fonte: autosport.pt

Posts Relacionados